Barra de vídeo

Loading...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Prefeitura quer unidade militar de Cuiabá para recapear Campo Grande

9º BEC seria deslocado para a Capital

  • CMO não se pronunciou sobre o assunto
  • A Prefeitura de Campo Grande realiza reuniões com o Exército brasileiro para fechar a licitação prevendo aplicar R$ 19,5 milhões liberados pela Caixa Econômica Federal e recapear a Bandeirantes, Marechal Deodoro e ruas Brilhante e Guia Lopes. A obra, entretanto, seria realizada pelo 9º BEC (Batalhão de Engenharia de Construção), sediado em Cuiabá (MT).
    Segundo informações divulgados, Mato Grosso do Sul não tem batalhão de construção, apenas o 9º Batalhão de Engenharia de Combate, em Aquidauana. Essa unidade não teria corpo técnico para realizar o projeto.
    O 9º BEC Cuiabá é subordinado ao 3º Grupamento de Engenharia, esse sim, sediado em Campo Grande, no CMO (Comando Militar do Oeste). Para realizar a obra, seriam trazidos militares e engenheiros do Batalhão de Cuiabá, podendo encarecer os custos do recapeamento.
    O secretário de Infraestrutura da Capital, Amilton Cândido de Oliveira, desmarcou a entrevista que concederia ao Jornal Midiamax para falar sobre o assunto. Alegou que teria reunião no CMO para tratar de detalhes do recapeamento.
    Sublocação
    O Exército brasileiro é responsável por  diversas obras de infraestrutura em território nacional. Atualmente são 16 delas, principalmente Norte e Nordeste. Segundo a força armada, o trabalho permite que seus quadros estejam preparados em caso de necessidade de construção de obras em tempos de guerra.
    Porém, ao cuidar das obras, os batalhões fazem compras de materiais de construção ou subcontratam parte dos serviços, podendo surgir fraudes. Agentes do Exército envolvidos com os contratos de compra de insumos e serviços já são alvo de investigações da Polícia Federal e do Ministério Público Federal.
    Um dos casos é a duplicação de 400 quilômetros da BR-101, que gerou um custo de R$ 59,5 milhões para a reparação dos prejuízos com as irregularidades. Dos oito lotes para a duplicação, três ficaram nas mãos do Exército.
    9º BEC
    O 9º Batalhão é atualmente responsável pela construção e pavimentação da BR-230, em Miritituba (PA), segundo consta no site de Diretoria de Obras e Construção do Exército.
    Em 2008, mesmo sendo o contratado para tocar a obra, o 9º Batalhão de Engenharia de Construção realizou um processo seletivo para contratar 250 civis temporários para atuar nas obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), num total de R$ 94 milhões recebidos pelas obras, que compreendiam construção e pavimentação de rodovias e construção de pontes.
    A reportagem entrou em contato com o 9º BEC e o CMO (Comando Militar do Oeste) para saber como funcionaria a licitação e se existe previsão para a chegada dos militares de Cuiabá, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. 

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário