Barra de vídeo

Loading...

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Família de campo-grandense morta no Chile pede ajuda para transportar corpo

Familiares têm até 10 de março para juntar R$ 32 mil

Bianca Bianchi
Família de campo-grandense morta no Chile pede ajuda para transportar corpo
Desde que soube da morte da filha Cristiane em um acidente no Chile, Lázaro Bonifácio da Silva tenta reunir forças e também o dinheiro necessário para trazer o corpo da jovem para o Brasil. Já são sete dias de incertezas. De acordo com Lázaro, o translado do corpo e as pendências burocráticas devem custar em torno de R$ 32 mil.

A professora de educação infantil Cristiane Assis da Silva, 30 anos, morreu no dia 1º de fevereiro em um acidente de caminhão na cidade de Taltal no Chile. No entanto, a família só soube da morte da jovem no dia 19, quando o Consulado Brasileiro no Chile entrou em contato por e-mail.
"Ela estava ilegal no país, por isso, eu tenho que ir até o Chile e resolver tudo. Depois, trazer o corpo pro Brasil, que não é um processo simples também", relata Lázaro. Segundo ele, antes de chegar a Campo Grande, o corpo deve sair de Iquique, passar por Santiago e desembarcar em São Paulo.
Em novembro do ano passado, Cristiane veio a Campo Grande visitar a família. "Ela morava fora há bastante tempo, a gente sempre fica preocupado, mas, graças a Deus consegui ver minha filha antes de tudo isso acontecer", desabafou o pai.
Ajuda - Sem condições de custear as despesas, o pai da jovem pede ajuda com doações para que a filha seja velada e enterrada no Brasil. Já são 25 dias que o corpo de Cristiane está no IML do estado de Antofagasta, no norte do Chile, onde aguarda liberação. De acordo com o Lázaro, o governo chileno pede urgência na solução do caso. "Me deram o prazo até o dia 10 de março para resolver, senão, eles vão fazer o enterro dela lá mesmo", explicou.
A mãe de Cristiane, Ângela de Arruda Assis, 59 anos, entrou com um pedido de auxílio na Defensoria Pública, porém, até o momento não recebeu retorno.
Se você quiser ajudar a família de Cristiane a trazer o corpo para Campo Grande, pode depositar qualquer quantia no Banco HSBC, agência 0842, conta corrente 14064-08. Outras informações pelo telefone (67) 9284-6607, com Lázaro.
Acidente - A professora de educação infantil Cristiane Assis da Silva, 30 anos, morreu no dia 1º de fevereiro em um acidente de caminhão na cidade de Taltal no Chile, distante cerca de 1000 km da capital Santiago. A jovem, que morava no Uruguai, tinha ido visitar o namorado e teria pego carona em um caminhão de mudança.
Segundo familiares, o motorista teria perdido o controle da direção do automóvel em uma curva e caído em uma ribanceira de aproximadamente 60 metros de altura. Cristiane chegou a ser atendida com vida, mas morreu horas depois no Hospital 21 de Mayo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário