Barra de vídeo

Loading...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Exoneração de diretoras: Rose dá bronca em Bernal e clima esquenta


Autor: Anna Gomes e Dany Nascimento 

Vice-governadora ainda adiantou: novos cortes ocorrerão

A vice-governadora de Mato Grosso do Sul, Rose Modesto (PSDB) deu uma verdadeira bronca pública no prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP. Ela denunciou a falta de gestão do chefe do Executivo em exonerar, de uma única vez, mais de 40 diretores de escolas municipais e Centros de Educação Infantil. O clima esquentou em evento público na manhã desta sexta-feira (19).

Durante a agenda pública, Rose adiantou que poderá haver mais exonerações de servidores da rede municipal. Usando o microfone, ela relatou que ficou muito assustada e pediu cautela para a prefeitura ao analisar os cortes.

"Quero aqui fazer um pedido, porque fiquei muito preocupada com as exonerações. Estou sabendo que teremos mais cortes na semana que vem e peço ao senhor prefeito que analise bem a situação. O senhor falou em ordem técnica, mas acredito que não seja. Peço que o prefeito faça justiça e que mantenha os diretores que há anos se dedicam aos nossos alunos, esse é um pedido meu para o senhor", disse.

Quando a vice- governadora terminou de falar, ficou parada ao lado de Bernal, que disse no ouvido dela: ''não faça isso''. O prefeito ficou nervoso com o depoimento de Rose e novamente repetiu o que havia dito em outra agenda pública, também nesta manhã. "Todas as mudanças foram feitas com razões técnicas e que precisamos, é oxigenar as escolas e Ceinfs. Não tem outro critério, queremos contar com a compreensão dos diretores, para que outras pessoas mostrem seu talento", explicou.

Questionado pelo TopMídiaNews sobre outras exonerações, assim, como a vice governadora disse que poderia acontecer, Bernal não negou e nem confirmou. "Havendo necessidade, podemos fazer alterações. A vice-governadora falou para a plateia, eu como gestor, vou manter alterações necessárias", se limitou em dizer.

Alcides Bernal ainda disse que respeita a opinião de Rose, mas que ela deveria se concentrar em ações do Estado, deixando claro que se irritou com o pedido da vice-governadora. "Quem tem que administrar o Estado é o Reinaldo Azambuja, do PSDB, e não vou interferir nas decisões dele para não atrapalhar. Acho que a vice-governadora deveria se concentrar nas ações do Estado, ela deu a opinião dela, mas não pode condenar uma equipe que trabalhou e analisou os diretores tecnicamente. Respeito, mas não concordo", ressaltou.

Ao tomar conhecimento de que o prefeito afirmou que durante seu pedido, Rose teria "atrapalhado sua gestão", a vice-governadora lamentou a falta de "sensibilidade" do prefeito e afirmou que defende os interesses do Estado e representa a classe dos profissionais da educação.

"Não estou interferindo na gestão dele -Bernal, apenas pedi para ele analisar os cortes, os critérios. O que não pode ter é retaliação política, até onde eu sei, durante conversas que tive com os diretores exonerados, nenhum foi processado por nada, não cometeram crimes e mesmo assim foram dispensados. Todos eram capacitados, inclusive, receberam certificados. O que eu fiz, foi um pedido, pois represento o Estado e represento a categoria", disse Rose, que ainda finalizou: ''Eu lamento falta de ética e sensibilidade de Bernal'.

Nenhum comentário:

Postar um comentário