Barra de vídeo

Loading...

segunda-feira, 21 de março de 2016

Jovem de 19 anos se recusa a usar cinto de segurança, capota veículo e morre

Enquanto a moça foi arremessada para fora do veículo, o outro passageiro sofreu apenas ferimentos leves por usar o equipamento de segurança

Após se negar a usar o cinto de segurança e sofrer um acidente de trânsito, Isabela de Oliveira Silva, de 19 anos, morreu por volta das 23h de ontem (20). O carro GM Astra de cor prata, placas HSI-6264 capotou na subida da MS 376, em frente ao sítio do Paraíba, no Bairro Barreirão, em Vicentina, município distante a cerca de 249 quilômetros de Campo Grande.

A vítima foi socorrida ainda com sinais vitais, mas já chegou morta no Hospital da Sias. Uma testemunha, identificada como Marcelo, contou que é proprietário do veículo e mora em Vicentina. Ele foi até Fátima do Sul, por volta das 20h40, onde conheceu Isabela, moradora do município. Ambos conversaram e resolveram dar uma volta em Vicentina, em torno das 22h30.

A vítima pediu para dirigir o veículo e Marcelo foi sentado no banco do carona. Eles deram uma volta pelo centro de Vicentina e já voltaram para o rumo de Fátima do Sul. Mas, de acordo com o registro policial, Marcelo pediu para ela colocar o cinto de segurança porque estava correndo, uma média de 180 km/h.

A jovem disse “que não precisava colocar cinto, pois já dirigiu vários carros e ninguém nunca pediu para que ela colocasse”. Marcelo contou ainda, que ela foi ultrapassar um veículo e perdeu a direção, fazendo o carro capotar cerca de quatro vezes.
 
(Foto: Divulgação/VicentinaOnline)

Isabela foi arremessada para fora do veículo e como ele estava com o equipamento de segurança, teve apenas ferimentos leves. A polícia informou que a vítima aparentava estar embriagada, já que no local foi apreendida uma garrafa de bebida com vodka.


O perito criminal informou que como o corpo não estava no local, não havia necessidade de comparecer. O carro foi entregue ao proprietário e o trânsito liberado. Já o corpo, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal. O caso está sendo investigado como morte a esclarecer. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário